1ª Síntese: Deus e as Provas de Sua Existência


A 1ª síntese a ser estudada pelo G.E.C.E (Grupo de Estudos da Codificação Espírita), foi formulada de acordo com O Livro dos Espíritos (1857) - Perguntas : 01 a 09. Intitulada:

DEUS E AS PROVAS DE SUA EXISTÊNCIA

Deus é a inteligência suprema, causa primeira de todas as coisas. Para crer em sua existência basta lançar os olhos para as obras da criação. O Universo existe; ele tem, pois, uma causa. Duvidar da existência de Deus seria negar que todo efeito tem uma causa, e adiantar que o nada pôde fazer alguma coisa.

Todos os homens carregam em si o sentimento intuitivo da existência de Deus, o que fortalece a idéia de que ele existe. Se esse sentimento fosse fruto da educação ou o produto de idéias adquiridas, ele não seria universal, como o é.

Dizer, por sua vez, que se pode encontrar a causa primeira das coisas nas propriedades íntimas da matéria seria tomar o efeito pela causa. E ainda, qual seria a causa dessas propriedades? Outro absurdo é assegurar que o acaso, ou a combinação fortuita da matéria, teve algum papel na formação original. Seria promover o acaso, ou o nada, a condição de ser inteligente, pois a harmonia que regula as atividades do universo revela combinações e fins determinados e, por isso mesmo, revela uma força com inteligência. Assim, uma acaso inteligente não seria mais um acaso.

Há um provérbio que diz: pela obra se reconhece o artífice. Pois bem! olhe-se a obra da criação e se procure o artífice. Nenhum ser humano podendo criar o que produz a natureza, a causa primeira, pois, é uma inteligência superior à humanidade. Mesmo que a inteligência humana realize prodígios, essa inteligência tem, ela mesma, uma causa, e quanto mais o que ela realiza é grande, mais a causa primeira deve ser grande. Esta inteligência é a causa primeira de todas as coisas, qualquer que seja o nome sob o qual o homem a designe.

A 1ª síntese foi apresentada no dia 11/07/2009 no 2º encontro do G.E.C.E. (Grupo de Estudo da Codificação Espírita). É com base nessa síntese que o grupo utilizará do I.A.C (Integração, Argumentação e Contextualização) e com base nos estudos e pesquisas que iremos empregar, vamos concluir e aplica-lo no nosso dia a dia.

Cada grupo vai ter uma data para cumprir os seus objetivos. Aqueles que ficaram no grupo Integração a partir da data que a síntese foi apresentada terão um prazo de 1(uma) semana para concluir seus trabalhos, os que ficaram com Argumentação terão 2 (duas) semanas e os que ficaram com Contextualização 3 (três) semanas. As datas de apresentação são:


Metodologia de Estudo



A metodologia de estudo utilizada pelo G.E.C.E (Grupo de Estudos da Codificação Espírita) da Casa da Caridade é o inovador I.A.C. (Integração, Argumentação e Contextualização) que faz com que haja uma maior flexibilidade, dinâmica e interação entre os membros.





Integração:

Os membros da integração irão buscar em outras obras da codificação temas que abrange a síntese apresentada pelo grupo. Catalogar e comparar nas obras da codificação o tema em foco.

Argumentação:

Os membros da argumentação buscam nas pesquisas de campo novas idéias e contradições em outros ramos do conhecimento, que analisando com às da doutrina espírita, possamos tirar conclusões das pesquisas feitas. Buscar o contraditório do tema em foco na comparação com outras formas do pensar humano - religião, ciência e areas filosofia - frente à leitura espírita

Contextualização:

Os membros da contextualização, que é a conclusão de todo o trabalho feito pela integração e a argumentação, irão nos mostrar, com ferramentas (imagens, vídeos, slider's, data show e etc.) como aplicar tudo o que foi concluído pela integração e argumentação no nosso dia a dia.

Codificação Espírita

Obras Básicas

A seguir, temos uma breve apresentação das Obras Básicas da Doutrina Espírita, codificadas por Allan Kardec:

1. O LIVRO DOS ESPÍRITOS (publicado em 18 de abril de 1857)


Este é o livro básico da Filosofia Espírita. Nele estão contidos os princípios fundamentais do Espiritismo, tal como foram transmitidos pelos Espíritos Superiores a Allan Kardec, através do concurso de diversos médiuns. Seu conteúdo é apresentado em 4 partes. Das causas primárias. Do mundo espírita ou dos espíritos. Das Leis Morais e das esperanças e consolações.

Eis alguns dos assuntos de que trata: prova da existência de Deus, Espírito e Matéria, formação dos mundos e dos seres vivos, povoamento da Terra, pluralidade dos mundos, origem e natureza dos Espíritos, perispírito, objetivos da encarnação, sexo dos Espíritos, percepções, sensações e sofrimentos dos Espíritos, aborto, sono e sonhos, influência dos Espíritos nos acontecimentos da vida, pressentimento, Espíritos protetores e outros temas de real interesse ao homem atual.

Na parte relativa às Leis Morais, os temas versam sobre o bem e o mal, a prece, necessidade de trabalho, casamento, celibato, necessário e supérfluo, pena de morte, influência do Espiritismo no Progresso da Humanidade, desigualdades sociais, igualdade de direitos do homem e da mulher, livre-arbítrio e conhecimento de si mesmo.

E, finalmente, na última parte, refere-se aos temas: perdas de entes queridos, temor da morte, suicídio, natureza das penas e gozos futuros, Paraíso, Inferno e Purgatório.

É um livro que abre novas perspectivas ao homem, pela interpretação que dá aos diversos aspectos da vida, sob o prisma das Leis Divinas, da existência e sobrevivência do Espírito e sua evolução natural e permanente, através de reencarnações sucessivas.

Seus ensinamentos conduzem o homem atual à redescoberta de si mesmo, no campo do espírito, fornecendo-lhes recursos para que compreenda, sem mistério, que é, de onde veio e para onde vai.


2. O LIVRO DOS MÉDIUNS (publicado em janeiro de 1861)

Este livro reúne o ensino especial dos Espíritos Superiores sobre a explicação de todos os gêneros de manifestações, os meios de comunicação com os espíritos, o desenvolvimento da mediunidade, as dificuldades e os tropeços que eventualmente possam surgir na prática mediúnica.

É constituído de duas partes: Noções preliminares e Das manifestações espíritas.

Dentre os vários assuntos que aborda, destacam-se: provas da existência dos Espíritos, o maravilhoso e o sobrenatural, modos de ser e proceder com os materialistas, três classes de espíritos, ordem a que devem obedecer os estudos espíritas: a ação dos Espíritos sobre a matéria, manifestações inteligentes, as mesas girantes, manifestações físicas, visuais, bicorporeidade, psicografia, laboratório do mundo invisível, ação curadora, lugares assombrados (com comentários sobre o exorcismo) tipos de médiuns e sua formação, perda e suspensão da mediunidade, inconvenientes e perigos da mediunidade, a influência do meio e da moral do médium nas comunicações espíritas, mediunidade nos animais, obsessão e meios de a combater, trata também de assuntos referentes à identidade dos Espíritos, às evocações de pessoas vivas, à telegrafia humana, além de vários temas intimamente relacionados com o Espiritismo experimental.

Não menos importantes são os capítulos dedicados às reuniões nas sociedades espíritas, ao regulamento oficial da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritos e ao Vocabulário Espírita.

Como se observa, o Livro dos Médiuns é a obra básica da Ciência Espírita, graças a ele, o espiritismo firmou-se como Ciência Experimental.

Embora publicado há mais de 100 anos, seu conteúdo é atual, seus ensinamentos permitem ao leitor estabelecer relações evidentes da Ciência Espírita com várias conquistas científicas da atualidade.


3. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO (publicado em abril de 1864)


Enquanto o Livro dos Espíritos apresenta a Filosofia Espírita e O Livro dos Médiuns a Ciência Espírita, O Evangelho Segundo o Espiritismo oferece a base e o roteiro da Religião Espírita.

Logo na introdução deste livro, o leitor encontrará as explicações de Kardec sobre o objetivo da obra, esclarecimentos sobre a autoridade da Doutrina espírita, a significação de muitas palavras freqüentemente empregadas nos textos evangélicos, a fim de facilitar a compreensão do leitor para o verdadeiro sentido de certas máximas do Cristo, que a primeira vista podem parecer estranhas.

Ainda na introdução, refere-se a Sócrates e a Platão como precursores da Doutrina Cristã e do Espiritismo.

O Evangelho Segundo o Espiritismo compõe-se de 28 capítulos, 27 dos quais dedicados à explicação das máximas de Jesus, sua concordância com o Espiritismo e a sua aplicação às diversas situações da vida.

O último capítulo apresenta uma coletânea de preces espíritas sem entretanto constituir um formulário absoluto, mas uma variante dos ensinamentos dos Espíritos e Verdade.

Os ensinamentos que contém são adaptáveis a todas as pátrias, comunidades e raças. É o código de princípios morais do Universo, que restabelece o ensino do Evangelho de Jesus, no seu verdadeiro sentido, isto é, em Espírito e Verdade.

Sua leitura e estudo são imprescindíveis aos espíritas e a todos que se preocupam com a formação moral das criaturas, independente de crença religiosa.

É fonte inesgotável de sugestões para a construção de um Mundo de Paz e Fraternidade.

4. O CÉU E O INFERNO (publicado em agosto de 1865)

Denominado também "A Justiça Divina Segundo o Espiritismo", este livro oferece o exame comparado das doutrinas sobre a passagem da vida corporal à vida espiritual.

Na primeira parte, são expostos vários assuntos: causas do temor da morte, porque os espíritas não temem a morte, o céu, o inferno, o inferno cristão imitado do pagão, os limbos, quadro do inferno pagão, esboço do inferno cristão, purgatório, doutrina das penas eternas, código penal da vida futura, os anjos segunda a igreja e o Espiritismo, aborda também vários pontos relacionados com a origem da crença dos demônios, segundo a igreja e o Espiritismo, intervenção dos demônios nas modernas manifestações, a proibição de evocar os mortos.

A segunda parte deste livro é dedicada ao Pensamento; Kardec reuniu várias dissertações de casos reais, a fim de demonstrar a situação da alma, durante e após a morte física, proporcionando ao leitor amplas condições para que possa compreender a ação da Lei de Causa e Efeito, em perfeito equilíbrio com as Leis Divinas; assim, constam desta parte, narrações de espíritos infelizes, espíritos em condições medianas, sofredores, suicidas, criminosos e espíritos endurecidos.

O Céu e o Inferno coloca ao alcance de todos os conhecimentos do mecanismo pelo qual se processa a Justiça Divina, em concordância com o princípio evangélico: "A cada um segundo suas obras".

5. A GÊNESE OS MILAGRES E AS PREDIÇÕES SEGUNDO O ESPIRITISMO (publicado em janeiro de 1868)


"Esta nova obra, esclarece Kardec, é mais um passo no terreno das conseqüências e das aplicações do Espiritismo. Conforme seu título o indica, ela tem por objeto o estudo dos três pontos, até agora, diversamente interpretados e comentados: a Gênese, os Milagres e as Predições, em suas relações com as novas leis decorrentes da observação dos fenômenos espíritas."

Assim, em seus 18 capítulos, destacam-se os temas: caráter da revelação Espirita, existência de Deus, origem do bem e do mal, destruição dos seres vivos uns pelos outros, refere-se também a uranografia geral, com várias explicações sobre as leis naturais, a criação e a vida no Universo, a formação da Terra, o dilúvio bíblico e os cataclismos futuros, em seguida apresenta interessante estudo sobre a formação primária dos seres vivos, o princípio vital, a geração espontânea, o homem corpóreo e a união do princípio espiritual à matéria.

No tocante as milagres, expõe amplo estudo, no sentido teológico e na interpretação espírita; faz vários comentários sobre os fluidos, sua natureza e propriedades, relacionando-se com a formação do perispírito, e, ao mesmo tempo, com a causa de alguns fatos tidos como sobrenaturais.

Desta forma, dá explicação de vários "milagres" contidos nos Evangelhos, entre eles, O cego de Betsaida, os dez leprosos, o cego de nascença, o paralítico da piscina, Lázaro, Jesus caminhando sobre as águas. A multiplicação dos pães e outros.

Posteriormente, expõe a teoria da Presciência e as Predições do Evangelho, esclarecendo suas causas, à luz da Doutrina Espírita.

Finalizando este livro apresenta um capítulo intitulado "São chegados os tempos", no qual aborda a marcha progressiva do Globo, no campo físico e moral, impulsionada pela Lei do Progresso.

Com este livro completa-se o conjunto das Obras Básicas da Codificação Espírita, também denominado "Pentateuco Kardequiano".

6. OBRAS PÓSTUMAS (publicado em 1890)


Este livro foi publicado somente 21 anos após a desencarnação de Allan Kardec.

Obras Póstumas apresenta vários trabalhos do mestre que nunca haviam aparecido em livro. Na verdade, a maioria já havia sido publicada na Revista Espírita, logo após o seu desencarne, como pode ser verificado consultando o volume da coleção correspondente ao ano de 1869.


Vejam o video dos livros básicos espíritas de Kardec:

video

Além das Obras Básicas da Codificação Espírita, Allan Kardec contribuiu com outros livros básicos de iniciação doutrinária, como:
  • A obsessão
  • Catálogo racional para a criação de uma biblioteca espírita
  • Instruções práticas sobre as manifestações espíritas
  • O espiritismo em sua mais simples expressão
  • Resumo da lei dos fenômenos espíritas
  • Viagem espírita em 1862

Bibliografia:

Estudos da Codificação Espírita

Blog dedicado ao G.E.C.E. (Grupo de Estudos da Codificação Espírita) da Casa da Caridade, que irá servir de apoio, informação e diálogos entre os membros e interessados. O objetivo do grupo, que é o estudo da codificação espírita ficará mais acessível e de fácil compreensão para todos os que tiverem interesse no nosso trabalho utilizando dos meios fornecidos pelo grupo. Está à frente do grupo o nosso grande amigo Jorge Fernando Vieira que emprega métodos inovadores de estudos como I.A.C. (Integração, Argumentação e Contextualização). Todos os sábados na Casa da Caridade, para mais informações entre em contato conosco pelo e-mail

Venham participem!